Vender Bem e Perder Menos

Olá Amigos!

Estamos às vésperas do maior evento para o comércio, que são as compras de Natal. Durante esse período o número de pessoas que sai às compras mais que triplica e esse movimento já começa no início de dezembro indo até a véspera do Natal.

As vendas de dezembro acabam por salvar o ano dos grandes varejistas, e, principalmente dos pequenos e médios.

Porém, nem tudo são flores nessa época! Da mesma forma que há o aumento dos clientes desejáveis, aumenta também o número dos indesejáveis. Mais conhecidos como furtantes, eles podem ser classificados como: furtante ocasional, impulsivo ou profissional. Para cada tipo é preciso uma abordagem diferente. Explico a seguir:

  • Furtante Ocasional – Compra e leva um “brinde”. A ação para esse tipo de pessoa deve ser preventiva, com o oferecimento de sacolas do estabelecimento e serviços. Deve ser monitorado visualmente pela equipe de segurança física e pelo sistema de CFTV, com a intenção de desestimulá-lo de praticar a ação delituosa.
  • Furtante Impulsivo – Mais conhecido como cleptomaníaco. Furta não por uma causa específica, como por exemplo, vender o produto. Mas para satisfazer um desejo que em sua psique é incontrolável. Para esse tipo de pessoa, o acompanhamento pela equipe de segurança deve ser em média distância e também com o viés de desestimular a ação, que se vier a acontecer, precisa ser punida conforme determina a legislação penal.
  • Furtante Profissional – São as famigeradas quadrilhas. Bem organizadas e articuladas, só furtam produtos previamente escolhidos e de fácil revenda no mercado paralelo. A ação para esse tipo de furtante deve ser acompanhamento a curta distância pela equipe de segurança física e pelo sistema de CFTV. O importante nesse tipo de ação é identificar quem são as pessoas da quadrilha, e focar a ação preventiva naqueles que estiverem portando sacolas que serão utilizadas para esconder os produtos e praticar o delito. Caracterizado o delito é importante lavrar a ocorrência na delegacia para que esse tipo de crime seja combatido.

Além do cuidado com os furtantes, também é preciso mitigar outros riscos como: roubo (assalto) e furto qualificado (arrombamento). Nesse caso, vale a pena investir no reforço de alguns pontos. Tais como:

  • Aumentar o número de coletas pela Transportadora de Valores, procurando deixar o mínimo de dinheiro “dormindo” no estabelecimento;
  • Realizar a retirada de dinheiro dos caixas (sangrias), com maior frequência que a habitual;
  • Deixar o numerário em cofre, até ser recolhido pela Transportadora de Valores, ou até a realização do depósito;
  • Aumentar a segurança física em estabelecimentos localizados em regiões de maior risco ou que tenham sofrido ocorrências nos últimos meses. Lembrando, que só se deve contratar empresa de segurança de idoneidade comprovada;
  • Realizar manutenção preventiva nos sistemas de segurança eletrônica: CFTV, alarme de presença, antenas de alarme e rádios HT´S;
  • Testar semanalmente o sistema de alarme de presença e botão de pânico, a fim de certificar que a empresa de monitoramento está recebendo corretamente os sinais;
  • Reforçar com a equipe os procedimentos de segurança na abertura e fechamento do estabelecimento, procurando não ser pego de surpresa pelos meliantes;
  • Orientar a equipe que em caso de perceber situações de risco, ela deve acionar a polícia através do telefone 190. Não peque pela omissão!

Planeje bem as ações de final de ano, e ao dimensionar a sua perspectiva de lucro procure deixar uma parte para reforçar a segurança do estabelecimento e atuar de forma preventiva.

Dessa maneira você não perde CLIENTES nem dinheiro!

É isso aí, amigos! Sucesso nas vendas de final de ano e até o próximo artigo!

 

Andre Ochoa

 

 

 

ANDRE FERRAZ OCHOA, MBS
Consultor e Profissional com mais de 11 anos de experiência em Segurança Empresarial, Prevenção de Perdas, Auditoria e Riscos.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.