Home » Anderson Ozawa » A Triste Realidade da Prevenção de Perdas no Brasil

A Triste Realidade da Prevenção de Perdas no Brasil

O que é uma pessoa hoje que trabalha com prevenção de perdas? Mesmo amando sua profissão e sabendo a importância que tem para o negócio, é um profissional que está tão frágil quanto uma taça de cristal no meio de uma sala com elefantes.

Digo isso com muita propriedade. Conhecendo bem o que se passa na cabeça de donos e diretores de empresas que de tempos em tempos promovem verdadeiras chacinas corporativas ao mandarem embora sistematicamente colaboradores até em casos extremos acabar com uma área inteira de prevenção de perdas.

E não importa se você, taça de cristal, está servindo o melhor vinho. Leia-se, redução e controle das perdas. Trata-se simplesmente da miopia e amadorismo do varejo brasileiro, que gasta milhares de dólares, por exemplo, em passeios inócuos para eventos internacionais e não sabe sequer executar o básico na sua operação ou gasta milhões de reais equipando uma Ferrari que é dirigida por quem não sabe sequer andar a pé.

E nessa roda viva surgem os falsos profetas, pseudo consultores de varejo que nunca trabalharam no varejo. E criam uma nuvem negra para aqueles que realmente fazem acontecer, que tem experiência e entendem a realidade do varejista brasileiro. Essa nuvem negra é criada porque oferecem o céu e a terra, a preços exorbitantes e ao final, deixam mais pontas soltas do que haviam antes.

Tenho que reconhecer que são excelentes vendedores. Mas não são entregadores.

Voltando ao profissional de prevenção de perdas. Vive à mercê do bom humor dos donos e acionistas da empresa. São tratados como despesa, mas são investimento. Um dos elos mais frágeis da corrente estrutural do negócio.

O Fiscal de Loja, o Líder de Equipe, o Supervisor, o Assistente, o Analista, o Auditor, o Coordenador, o Gerente Regional, o Gerente Corporativo e em alguns (infelizmente) raros casos, o Diretor de Prevenção de Perdas. Todos integrantes de uma área que traz LUCROS para a empresa, tanto quando o time de vendas.

Profissionais de uma área que trabalham a cultura de cuidar do principal ativo financeiro da empresa: o estoque.

Em minhas palestras, eu pergunto aos participantes: “Qual a diferença entre cuidar do dinheiro do banco e cuidar do estoque da empresa?”

Resposta: NENHUMA DIFERENÇA!

Ambos são dinheiro, mas, com liquidez diferente, com o agravante que o estoque tem liquidez lenta.

Além do fato de estarem sempre sujeitos a decisões dessa natureza, os profissionais de prevenção de perdas ainda sofrem outro ponto pior: a má remuneração.

É impressionante quando observamos o seguinte anúncio:

“Venha fazer parte da nossa equipe!

Oportunidade para Gerente de Prevenção de Perdas em Rede de Supermercados

Salário: R$ 1.800,00

Ensino Superior, Liderança, Gestão de Projetos, Gestão de Equipes. Pós Graduação ou MBA será um diferencial.”

Um profissional que na maioria dos casos produz ganhos de milhões de reais, é contratado por R$ 1.800,00! E ainda vive em uma pressão interna e externa a qual pode perder o seu emprego.

Enquanto isso, continue pagando rios de dinheiro para profissionais de uma área que não vou citar qual é, mas que, vive da chamada “bola” e tiram vantagem da sua empresa e você nem sabe.

Valorizem os profissionais de prevenção de perdas, aqueles que estão no negócio para cuidar do que é seu, mais até, do que voce mesmo cuidaria. Invistam em uma área que gera resultado para sua empresa e não é valorizada. Em profissionais qualificados que estão de olho no negócio.

Um profissional de prevenção de perdas para fazer seu trabalho e entregar resultados, atua em toda a cadeia de suprimentos, em todas as áreas da empresa. Cego é aquele que ainda pensa que prevenção de perdas é apenas segurança.

Prevenção de Perdas é Governança Operacional!

Está área olha toda a cadeia operacional da empresa (logística, compras e operações de loja), interage com todas as áreas técnicas (contabilidade, qualidade e finanças) e também com as áreas de suporte (recursos humanos e tecnologia da informação).

Quem olha a empresa assim para você? Melhor, quem cuida assim da empresa para você?

Esta semana, uma profissional de prevenção de perdas me chamou pra conversar e me falou: “Anderson, você diz em um dos seus vídeos que é possível viver de prevenção de perdas. É mesmo?”

Vou falar o que eu respondi a ela e sempre responderei:

“SIM, É POSSÍVEL VIVER DE PREVENÇÃO DE PERDAS NO BRASIL!”

Profissionais de prevenção de perdas, uni-vos! Especializem-se! Valorizem-se!

Varejistas brasileiros, troquem as lentes e passem a incorporar a prevenção de perdas no seu negócio, como ela deve ser!

Continuarei na luta para elevar os padrões da Prevenção de Perdas no Brasil e consequentemente do Varejo Brasileiro.

Durante todos estes anos, criamos o Portal Prevenção de Perdas Brasil, desenvolvemos a metodologia do Pentágono de Perdas para gestão no varejo brasileiro, em parceria gravamos o primeiro e único curso EAD online de prevenção de perdas, grupos de discussão no WhatsApp, desenvolvemos um método de consultoria e implantação de prevenção de perdas, entre outras coisas.

Eu acredito. E você?

Vem comigo?

Abraços,
Anderson Ozawa
Prevenção de Perdas Brasil
Idealizador e Presidente

Siga-nos nas Redes Sociais:
0

16 comments

  1. Andreson, parabéns pela matéria!
    Chega a ser assustador o quando me identifiquei com sua matéria, você explorou com muita sobriedade o momento que o Profissional de Prevenção de Perdas vem vivendo no Brasil!

  2. Colocou em palavras o que sentimos. Sabemos do potencial que a área oferece, vemos as oportunidades, mas vivemos à mercê de quem atribui pouca importância ao trabalho que fazemos.

  3. Eduardo Guilharducci

    Srs. O texto expõe a realidade da area na essência. Recebi vagas para Gerente de Prevenção de Perdas por R$ 1.200,00, tendo como alguns requisitos – CNH, MBA, etc, no ramo supermercadista. A incerteza que a área demonstra é preocupante quando falamos em existencia/manutenção das CIA’s. Apresentar um projeto à diretoria e meses depois toda a área de Prevenção é extinta….. Passei por isso.
    A força da área está em nossas mãos.

  4. Anderson, brilhante texto, mostra a realidade do profissional da área de prevenção. Mas também acredito que é sim possível viver de Prevenção de Perdas.

  5. Estou neste exeto momento iniciando uma empresa de Prevenção para o varejo em Manaus, sei das dificuldades mas também sei o quanto as empresas podem deixar de perder com esse tipo de consultoria, estamos juntos em busca de valorização dos profissionais de Prevenção de Perdas.

  6. Excelente exposição! Infelizmente no varejo brasileiro… A prevenção de perdas ainda não é valorizada! Mas isso é cultural! Comparamos os casos aos professores…

  7. Sou analisata de quebras, multiplicador de treinamentos para fiscais de prevenção (extra hipermercados) e hj trabalho de moto entregador, pois tomei raiva da visão dinossauro dos pseudos intelectuais do varejo.

  8. Thiago Bruno Miguel

    Vejo um grande crescimento na área de prevenção e perdas, gostaria muito de saber mais sobre essa área tão impotissima nas organizações, varejista.

  9. Excelente matéria. Parabéns!!!
    Eu acredito na Prevenção de Perdas.

  10. Correto a sua exposição, entendo como fundamental a regulamentaçao do oficio, ai estaremos embasados dentro da lei.
    Gerenciamento de risco e perdas deveria ser atividade obrigatoria dentro de qualquer negócio.
    Abraços.!.

  11. A Triste Realidade da Prevenção de Perdas no Brasil
    28 de janeiro de 2017 Anderson Ozawa
    O que é uma pessoa hoje que trabalha com prevenção de perdas? …..de cristal no meio de uma sala com elefantes….
    Anderson Ozawa, PARABÉNS por abordar um tema muito importante, real e infelizmente muito triste, mas é a realidade da grande maioria das lojas brasileiras.
    O DISCURSO que se prega nas mídias está muito longe da PRÁTICA.

    E nessa roda viva surgem os falsos profetas, pseudos consultores de varejo que nunca trabalharam no varejo. E criam uma nuvem negra…
    Anderson Ozawa, é outra realidade triste que vêm acontecendo no varejo há vários anos; uma pessoa perde o emprego (é despedida porque não atingiu os resultados negociados) e, enquanto não consegue se recolocar no mercado, VIRA CONSULTOR e acabam denegrindo a imagem da profissão e de alguns profissionais sérios. O mercado está cheio dessas pessoas.

    “Venha fazer parte da nossa equipe!
    Oportunidade para Gerente de Prevenção de Perdas em Rede de Supermercados
    Salário: R$ 1.800,00
    Ensino Superior, Liderança, Gestão de Projetos, Gestão de Equipes. Pós Graduação ou MBA será um diferencial.”
    Um profissional que na maioria dos casos produz ganhos de milhões de reais, é contratado por R$ 1.800,00! E ainda vive em uma pressão interna e externa a qual pode perder o seu emprego.
    Caro Anderson, concordo com você. A área de Prevenção de Perdas é estratégica e deveria se reportar diretamente à Diretoria da empresa mas normalmente ficam a níveis inferiores à das Gerências das Lojas.
    Na minha opinião o que tem contribuído para o agravamento desse problema são os Cursos de Prevenção de Perdas de baixo custo e muitos a custo zero onde as empresas enviam funcionários sem o perfil desejado e que não tem nenhum conhecimento da Gestão de uma loja. É claro que, nesses casos, e após um curso de 6 horas, os participantes obtêm NÃO FORMAÇÃO, mas sim INFORMAÇÃO e nesses casos é claro que ficarão a níveis inferiores aos das gerências.

    “SIM, É POSSÍVEL VIVER DE PREVENÇÃO DE PERDAS NO BRASIL!”
    Profissionais de prevenção de perdas, uni-vos! Especializem-se! Valorizem-se!
    Quando surgiu as primeiras reuniões sobre o tema (participei de algumas delas coordenadas pelo Professor Parente) eu acreditava que seria a PROFISSÃO DO FUTURO!
    Continuo acreditando na profissão mas creio ser FUNDAMENTAL que nas inscrições para participarem de Cursos de Prevenção de Perdas seja exigido EXPERIÊNCIAS SÓLIDAS na Gestão de Lojas caso contrário o efeito é o mesmo que enviar uma pessoa para fazer uma Pós Graduação sem ter o curso fundamental e sem experiência nenhuma sobre os temas a serem estudados.

    Nelson Alexandre:.

  12. Anderson, tudo isso é verdade, mais já observo melhorias em nossa área qui no nordeste tem muitas empresas que valorizam este profissional, mais infelizmente esta realidade existe e é real, ja vivi uma extinção do setor quando estávamos muito bem na organização, com indicadores sólidos e processos rodando de forma eficaz.

  13. Trabalho na área a 2 anos, a pressão é grande….mas eu sou brasileira e não desisto…ainda acredito que dias melhores virão…

  14. Anderson, parabens! Vc como sempre falando tudo que sempre desejamos mas na maioria das vezes nao temos coragem. Parabens meu amigo!
    Vc é demais, como ja tive a oportunidade de te falar pelo whats….mas nós nao desistos como diz nossa colega ai, somos brasileiros, e aos poucos estamos conquistando nosso espaço, e ja somos um pouco mais reconhecidos graças a trabalhos como o seu. E vamos continuar lutando.

    Grande abraço

  15. ANTONIO DA COSTA VIEIRA

    Fico feliz em saber que temos um profissional como você Anderson para nos inspirar. Saiba que não vamos desistir e como você disse vamos nos capacitar e assim conquistar o respectivo respeito que merecemos.

  16. JULIO CESAR FERNANDEZ

    Muito boa a sua colocação sobre o setor de Prevenção de Perdas no Brasil, trabalho em uma empresa do varejo que agora entendeu isto e criou o cargo de gerente de Prevenção, onde tenho certeza que os resultados serão melhores, valorizar a função para aí sim cobrar alguma coisa.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Enjoy this blog? Please spread the word :)