Perdas no varejo somam R$ 1,7 bi em 2012

Segundo pesquisa elaborada pelo PROVAR/FIA, em conjunto com outras associações, este valor representa 1,83% de todo o faturamento bruto do setor
 
Em 2012, as perdas no varejo representaram 1,83% do faturamento bruto do setor, que totaliza R$ 98 bilhões, ou seja, os prejuízos chegaram ao patamar de R$ 1,7 bilhão, de acordo com pesquisa elaborada pelo PROVAR/FIA (Programa de Administração de Varejo da Fundação Instituto de Administração).
 
Este percentual é o maior desde 2008, quando se registrou 2,05% em perdas, e está 0,07 p.p acima do índice computado em 2011 (1,76%). Os principais resultados referentes aos segmentos analisados – Supermercado, Farmácia, Construção e Vestuário – são:
 
Supermercado: A maior causa das perdas se deve por “Quebra operacional”, com 33,4% do total, seguida por “Furto externo” (21,4%), “Furto interno” (13,1%), “Erros administrativos” (12,7%), “Fornecedores” (11,4%) e “Outros fatores” (8,1%). Mesmo sendo fundamental para a eficiência operacional do setor, apenas 28% dos respondentes informaram ter área de prevenção de perdas.
Farmácias e Drogarias: 68% dos respondentes desse segmento informaram já contar com um profissional dedicado a esta atividade. Houve ainda um grande aumento no número de empresas que possuem controle das ocorrências de furtos identificadas, passando de 29%, em 2011, para 67%, em 2012.
 
 
Construção: Dentre as causas mais relevantes para as perdas estão: “Quebra operacional” (35,7%), “Erros administrativos” (25,3%), “Outros ajustes” (14,7), “Furto externo” (8,7%), “Fornecedores” (8%) e “Furto interno” (7,7%).
Vestuário: 81% do total informaram possuir equipe interna para evitar os prejuízos. Entre os produtos mais furtados nas lojas de vestuário estão: camisa polo, blusas, vestidos, calcinhas e meias.
 
“O varejo é um segmento muito importante para a economia do país. As 120 maiores empresas de varejo faturaram R$326 bilhões em 2012. O varejo colabora com cerca de 10% do valor adicionado ao PIB (Produto Interno Bruto). Assim, estas perdas são preocupantes e servem de indicador de eficiência operacional do varejo no Brasil” afirma Claudio Felisoni, presidente do conselho do PROVAR/FIA.
 
Análise do segmento de Pequenas e Médias Empresas
 
Nesta edição foram acrescentados dados sobre perdas no varejo em pequenas e médias empresas (PMEs), constatando-se que:
 
44% informaram perda financeira em 2012;
32% não sabem ou não têm controle sobre as perdas financeiras de sua organização; e
Somente 8% afirmam ter seguranças ou agentes de prevenção de perdas.
 
O estudo tem abrangência nacional e foi feito em parceria com a ABRAS (Associação Brasileira de Supermercados), Nielsen, ABF (Associação Brasileira de Franchising), CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas de Jaraguá do Sul), Serasa Experian, Sebrae – SP, SINCOMAVI (Sindicato do Comércio Varejista de Material de Construção, Maquinismos, Ferragens, Tintas, Louças e Vidros da Grande São Paulo) e IBEVAR (Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo e Mercado de Consumo).
 
Sobre o Provar: 
 
O Programa de Administração de Varejo da Fundação Instituto de Administração (FIA) foi criado em 1992 e tem por objetivo promover pesquisas, estudos, publicações, consultoria e treinamento para o setor de varejo de bens e serviços. Consolidado como o maior centro acadêmico de investigação nas áreas do varejo e mercado de consumo do Brasil, o Provar envolve a participação regular de mais de cinqüenta professores, vinte pesquisadores em caráter permanente, além de alunos do mestrado e doutorado da FEA/USP. Sob sua supervisão já foram realizados mais de 5 mil horas por ano de programas de treinamento, bem como projetos de consultoria e educação no Brasil e na América Latina (México, Chile e Argentina), tendo registrado em 2005 o treinamento de mais de três mil profissionais.
 
Sobre a FIA: 
 
Eleita por três vezes, desde 2005, como a melhor Escola de Negócios do Brasil, a FIA, um dos mais conceituados e respeitados centros educacionais do País, possui 32 anos de atuação no setor. A Instituição de Ensino Superior (IES), credenciada junto ao MEC (Ministério da Educação), atua em três frentes: ensino, pesquisa e consultoria, capacitando-a para desenvolver estudos e prestar serviços nos mais variados campos de especialização da Administração.
 
Todos os MBAs oferecidos pela instituição alcançaram credenciamento junto à The Association of MBAs (AMBA), sediada em Londres, que referencia importantes escolas de negócios pelo mundo. Outro reconhecimento relevante foi concedido pelo jornal britânico Financial Times. O MBA Executivo, oferecido pela FIA, ocupa a posição de número 25 no ranking dos melhores MBAs Executivos das Américas, sendo o único MBA brasileiro na classificação elaborada pelo jornal, que destaca, ainda, a qualidade do grupo de alunos: o 6° mais experiente do mundo.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.